Disse a uma papoila


Minhas mãos escrevem o que a alma acena
E eu pedi p’ra elas escreverem de ti
Mas não disse á alma qual era o meu lema
E não foi preciso, olha o que escrevi…

Disse a uma papoila, disse
Que queria que ela visse
O que o meu amor fazia
Ela foi pairando e um dia

Correu, saltou, ficou parada!..
Foi atrás da minha amada,
Que correndo passou por aqui!..
Foi tão breve que quase não a vi,

Era tamanha a pressa dela!
Não tenho tempo, disse ela .
E qual raio partiu.
Deixando um beijo fujiu.

Tamanha dor causa ela
Mesmo da sua janela
Espreita a fuga e vai
Correndo sem ver que cai

Nas garras do seu amado
Qual papoila encarnada
Que brilha ao ser refletida
Nos abanões da minha vida

Jót@

1 comentário:

suza disse...

Vou adicionar-te no msn.