Ainda que o Natal seja depois



















Ainda que o Natal seja depois
E não haja mais “Nós os dois
Quero desejar-vos paz
Amor, felicidade e o mais que me apraz

Somos felizes por lembrar
Por sermos lembrados
Por rir e por chorar
Somos felizes por ser amados

Seremos felizes por ser prezados
Ainda que de pés e mãos atados
Ofendidos ou maltratados
Somos felizes se respeitados

Enquanto uma estrela brilhar no céu
E existirmos tu e eu
Carecemos guardar
Cada gesto, cada lugar

Se á noite dormirmos em sossego.
Tivermos um verso na memória
Talvez de amor, ou achego
Faremos nossa a nossa história

Se fizermos a alguém uma prece
Se essa hora não esquece
Será com simplicidade.
Que nos agradamos da idade

Que haja esperança no divino
Inundada ou não de poesia
Seja jovem a melancolia
Volte de novo o Jesus Menino

João Morgado

1 comentário:

Lucilia (Lu) disse...

Olá Joao! Suas poesias são simplesmente maravilhosas. Adorei tambem seus filmes. Leio muito e adoro poesias, mas as suas em especial me fizeram viajar para dentro de mim mesma. É como se você escrevesse o que leu na minha alma.
Gostaria imensamente de ser amiga do do poeta... do homem sensível e especial que é você. Abraço-te carinhosamente!